sexta-feira, 30 de abril de 2010

TALVEZ, NÃO MAIS QUE TALVEZ

Uma Mensagem de “Muito Pequeno Para Querer Ser Alguém” Psicografada por Ben Kalil em 30 Abril 2010.

Hoje eu quero agradecer a todos vocês que, de alguma forma, evocam a nós, mensageiros da Luz, que, por Ordem Divina, passamos as mensagens para vocês.
Hoje eu quero falar uma coisa que eu acho de muito valor.
E quero iniciar dizendo:
Se eu tivesse um corpo igual ao de vocês, certamente, neste momento, estaria sangrando pelo abrir das sombras que encobrem as injustiças que se fazem neste planeta.
As desigualdades são enormes, mas talvez, talvez, sejam para uma transformação, para uma reforma que jamais houve.
Nós temos uma missão perante e adiante de todos vocês.
E nos chegam acontecimentos graves e de difícil solução.
Nós, que aqui vimos, queremos passar a vocês, com toda sinceridade, a paz, a justiça, a confiança e a esperança.
Mas muitos de vocês podem questionar:
Por que uma grande parte da humanidade vive em situações muito ruins, em situação de miséria? 

Eu já fui questionado:

Por que vocês me pedem paciência e esperança, se eu as perdi?
Já nem sei o que significa essa palavra "paciência".
"Esperança" eu nunca tive.
Eu não tenho onde morar.
Eu não tenho onde pôr minha família.
Eu não tenho como sustentá-la.
Como vou ter esperança?
Onde vou achar essa paciência?
E não é de agora não.
Meus pais, meus irmãos também sofreram a mesma coisa.
Meu pai não teve paciência, não teve esperança, pois logo se matou, deixando-nos numa situação de angústia e desespero.
A paciência e a esperança foram com o meu pai, que levou tudo, tudo o que tinha, ou seja, nada; nem paciência e nem esperança.
O que posso fazer?
Diga-me.
O que posso fazer com minha mulher e meus filhos que já não têm nem paciência e nem esperança?
Por que o mundo, por que Deus, o Deus de vocês, não dá a nós acalanto, não dá a chance de acreditarmos em Sua existência?
Por que o Deus de quem vocês falam virou as costas para nós e nos deu a tristeza no lugar da esperança, e nos deu a amargura de viver no lugar da paciência?
É muito triste viver essa vida.
E eu já pensei em abandonar tudo isso, abandonar meus filhos, minha mulher, entrar na vida do crime, matar para poder viver.
Ou uma forma melhor: fazer o que meu pai fez.
Porque o sofrimento, a angústia e a tristeza nos levam ao desespero.
Quem passa por tudo isso sabe e entende o que eu estou falando.
Agora, os que tiveram uma sorte melhor podem acreditar no Deus em que vocês falam, podem ter paciência, podem ter esperança.
Eu não tenho nada, só a infelicidade está ao meu redor.
O que vocês, que estão nesse mundo paralelo ao nosso, podem me dizer?
Que incentivo podem me dar se nem a paz eu consigo ter?


A cortina dessa desgraça em que vive boa parte da humanidade é uma verdade que vocês e que nós não podemos contestar.
Ela existe e está diante de nossos olhos e podemos ver.
E o que fazer?
É uma calamidade que nos entristece e que nos causa um mal muito grande.
Mas eu, longe de ter uma sabedoria grande, digo a todos esses que passam por situações injuriosas como essas... eu deveria neste momento pedir paciência e esperança.
Mas como, se a paciência e a esperança se perderam no caminho desses seres humanos, e a fé e a crença em Deus, nosso Pai Supremo, se afastaram da vida dessas pessoas?
Só me resta fazer um apelo do fundo do meu coração, se eu tivesse um coração.
Meus queridos irmãos, os sofrimentos que vocês estão passando são latejantes e machucam nos momentos que são angustiosos.
Mas talvez, não mais que talvez, vocês mesmos tenham escolhido esse caminho para sua evolução e para a evolução de todos aqueles, que como vocês, sofrem.
A vida aqui na Terra não é muito longa, mas a vida espiritual que vocês têm é muito comprida.
Vocês por aqui já passaram outras vezes e talvez, não mais que talvez, vocês tiveram uma vida boa, foram mais felizes do que são agora.
Mas talvez, não mais que talvez, vocês são seres humanos agora, neste instante, e escolheram essa sorte para avançarem mais rápido até onde vocês pretendem chegar.
Não se precipitem.
Eu falo a todos vocês.
Não se precipitem porque vocês são Filhos de Deus.
Vocês têm que manter um caminho certo.
Não se desvirtuem nesse caminho.
E eu peço:
Tenham amor a esse Pai Eterno.
Ele sabe o caminho exato.
Vocês chegarão lá numa época, num dia.
Acreditem em mim.

Ponham a paciência, a esperança e o amor em suas vidas.

Eu sei que Eu Sou Muito Pequeno Para Querer Ser Alguém, mas neste momento eu quero ser grande, eu quero que vocês compreendam não a minha explicação, mas a sua situação e louvem esse Ser Divino que vocês chamam de Deus.
Ele não se esqueceu de vocês.
Ele não deu as costas para vocês.
Vocês estão presentes em Seu olhar, presentes em Suas comunicações.
Não se esqueçam de Seu Pai, pois vocês são filhos d'Ele.
Amenizem o seu sofrimento, amenizem as suas angústias.
Procurem olhar a sua família com carinho, com amor.
E não desistam nunca desta vida.
Não pensem jamais em interromperem-na.
Amem a si mesmos como pessoa, amem a si mesmos como um ser.
Vocês são sofredores?
Não.
Vocês estão lutando para o melhor.
Para mim vocês são heróis, não são sofredores.
Acreditem nisso.


Um comentário:

  1. amei seu blog, tem muitos entretenimentos!!! parabens, amei os textos

    ResponderExcluir